Foto: Fotoarena

A diretoria da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) decidiu prorrogar por um ano a autorização para o uso emergencial de vacinas contra a covid-19. A prorrogação é necessária porque o uso de vacinas sem registro definitivo, caso da Coronavac, estava amparado apenas pela situação de emergência em saúde, encerrada pelo governo no mês passado.

Com a decisão, a vacina do Instituto Butantan – produzida em parceria com o laboratório chinês Sinovac – poderá continuar a ser administrada até 21 de abril de 2023, mesmo se até lá ainda não tiver obtido o registro definitivo da Anvisa. A diretoria da agência também aproveitou para revogar outras medidas que eram garantidas pela situação de emergência e que já não se fazem mais necessárias.

Fonte: Valor Globo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.