Foto: Reprodução

O clima esquentou e a temperatura subiu na Câmara de Vereadores e precisou da presença da Polícia Militar durante a sessão referente a CPI da Saúde, onde foi prestado o depoimento de Eliene Cerqueira (Liu) assessora do prefeito de Feira de Santana Colbert Martins (MDB).

A Comissão Parlamentar de Inquieto (CPI), solicitou o confisco do aparelho celular coorporativo de Liu, a mesma se recusou entregar.

O presidente da Câmara, vereador Fernando Torres (PSD), falou, “peço a depoente o número do aparelho celular e serial para que possamos pedir o confisco por meios jurídicos “, disse.

“Esse dinheiro é Federal, a servidora se recusou passar o celular, tem direito, peço a Comissão que retire o pedido, pois não será legal para nossa Câmara, somos  exemplo  que mudou a forma  de vereadores agirem  no município, vamos a Delegacia da Policia Federal”, afirmou Torres. 

Em nota enviada ao Conectado News a prefeitura disse que vai processar vereadores por abuso e assédio moral em CPI

O Governo Municipal vai acionar a Justiça contra os vereadores integrantes da CPI da Saúde que abusaram da autoridade, nesta terça-feira (15), durante o depoimento da funcionária do Gabinete do Prefeito, Eliene Cerqueira. Eles chegaram ao ponto de tentar confiscar o telefone celular da servidora.

O prefeito Colbert Martins se indignou com a atitude, qualificando-a como “um verdadeiro assédio moral, uma arbitrariedade, um abuso de autoridade. Extrapolaram e muito no direito de inquirir a funcionária e o governo tem toda a legitimidade para não aceitar esse tipo de atitude”.

Houve tumulto na sessão do depoimento quando um dos vereadores da oposição ao governo falou do confisco do celular. Imediatamente, a transmissão ao vivo da sessão foi tirada do ar no site oficial da Câmara Municipal.

“Tirar a sessão do ar foi outro absurdo contra o cidadão, contra o povo, pois passaram a tentar esconder o que estava acontecendo na sessão. Uma atitude criminosa contra o princípio da transparência que é devido pelos poderes públicos”, protestou o prefeito. 

“Os vereadores foram eleitos legitimamente pelo povo e tem o direito de fiscalizar o Poder Executivo. E o Governo Municipal jamais vai deixar de atender todas as solicitações da CPI, tanto que já enviou ao Poder Legislativo 380 mil cópias de documentos da Secretaria de Saúde. Mas o que se viu na sessão da CPI da Saúde foi um total desrespeito aos direitos de uma cidadã, um flagrante assédio moral”. 

Fonte: Conectado News

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.