Foto: Divulgação/Ford

O governador da Bahia, Rui Costa (PT), recebeu hoje uma notícia da direção da Ford que ajuda a compensar, em parte, o choque que ele levou, há um ano e três meses, quando montadora o informou que fecharia a fábrica em Camaçari. Naquela ocasião, o fim da produção de veículos na Bahia envolveu mais de 4 mil demissões. Mas o centro de engenharia da companhia foi mantido no próprio Estado, com cerca de mil profissionais. A boa nova anunciada hoje foi a expansão da equipe, com a contratação de mais 500 engenheiros.

Com o fechamento da fábrica, a equipe dedicada à pesquisa e desenvolvimento de produto da Ford foi deslocada para o Cimatec Park, do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai). Trata-se de um complexo tecnológico que também fica em Camaçari. Além da área automotiva, o Cimatec Park planeja expandir as atividades nos setores de energia eólica, naval, petroquímica, biotecnologia e petróleo e gás.

No caso da Ford, a equipe de engenharia foi mantida, a despeito do fechamento das fábricas no Brasil, porque esses profissionais estão envolvidos em projetos de veículos globais, produzidos em outros países.

Por meio de nota, o presidente da Ford na América do Sul, Daniel Justo, disse que o time brasileiro “tem uma contribuição importante na engenharia global da Ford, desenvolvendo produtos, patentes, tecnologias e softwares que estão ajudando a moldar o futuro da mobilidade”. “É uma prova da capacidade e da competitividade do nosso país em exportar projetos e conhecimento”, disse. Além do parque tecnológico da Bahia, a estrutura de pesquisa e desenvolvimento da montadora inclui um campo de provas em Tatuí, no interior de São Paulo.

Além do Senai, na Bahia, a Ford manteve parcerias com a Universidade Federal e ações voltadas à comunidade, como o curso de desenvolvimento de software. Resultado de uma parceria com o Senai Cimatec, o curso oferece 80 vagas gratuitas para pessoas de baixa renda. Há poucos dias, a Ford anunciou a venda da fábrica de motores de Taubaté (SP) para a São José, a mesma incorporadora que adquiriu a fábrica em São Bernardo do Campo (SP), onde foram construídos galpões logísticos.

Fonte: Valor Econômico

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.