Foto: Divulgação

A guarda municipal de Uauá esteve hoje protestando em frente a prefeitura, de maneira ordeira pelo não cumprimento integral do reajuste, versado na lei 612/2019 que versa que no mês de janeiro, a categoria recebe 10% sobre o salário previdenciário.

Em janeiro o município aplicou o reajuste, mas não na forma correta porque usou como parâmetro o salário base de 2020 (que ficou congelado em 2021 devido ao entendimento da municipalidade sobre a lei complementar 173/2020 – que teve seus efeitos cessados em dezembro de 2021).
O reajuste de 10% deveria ter ocorrido em cima do salário previdenciário atual (1.212,00) e não sobre o salário base de 2020 permanecido em 2021.
Assim, diante de várias tentativas de negociação, não obtendo êxito, os servidores estiveram  hoje em frente a prefeitura para demonstrar a total insatisfação com a gestão do prefeito Marcos Lobo.

Não tendo recebido uma resposta positiva, os guardas se deslocaram até a Câmara e Municipal para buscar daquela Casa o apoio devido, negado pela gestão do prefeito Marcos Lobo que insiste em desrespeitar Lei e direitos, muitas das vezes valendo-se da inércia de parte dos vereadores, que só enxergam seus próprios interesses.

Fontes: Fonte: Associação dos Guardas Municipais de Uauá/Jaguarari On-line

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.