Imagem: Reprodução

A construção de um aeródromo de Senhor do Bonfim, teve início em junho de 2020. A obra do Governo da Bahia, custou aos cofres públicos ao em torno de 20 milhões e é um dos maiores da região. O objetivo é operar com aviação geral e receberá aeronaves como UTIs aéreas e de transporte de medicamentos e de valor.

Porém um impasse surgiu para o funcionamento do tão sonhado empreendimento. Sem a licença da ANAC, o Aeródromo não pode funcionar, e esse licença ainda não foi liberada devido a um lixão irregular a cerca de 7km do local.

De acordo com o marco legal do saneamento básico, lixões a céu aberto terão que ser extintos e para tanto o Consorcio do Piemonte Norte Itapicuru estaria planejando a construção de um Aterro Sanitário em Senhor do Bonfim, obra que seria feita em conjunto com os municípios que formam o Consorcio, porém ainda segundo as leis ambientais, o empreendimento seria irregular também, pois  Itiúba possui Aterro privado e Jaguarari está em fase de licenciamento e empreendimentos que geram impacto ambiental não devem ser construídos próximos.

Entramos em contato com representantes da EXA Ambiental, que nos informou que a Associação Brasileira de Empresas de Tratamento de Resíduos Sólidos e Efluentes – ABETRE protocolou no Ministério Público um documento informando sobre a pretensão do Consórcio em seguir com o projeto que além de não resolver a problemática com relação ao aeródromo ainda trará prejuízos sócio ambientais.

O INEMA até o momento não se manifestou sobre o caso.

Fonte: Cidade em Notícias

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.