Vice-líder da oposição no Congresso, o deputado petista Afonso Florence minimizou nesta terça-feira, 1º, a retirada da pré-candidatura do correligionário Jaques Wagner ao governo do Estado e disse ver boas perspectivas eleitorais com um aliado na cabeça da chapa, desde que mantida a aliança local com PSD e PP.

“Não vejo abalo nenhum. Havia a possibilidade da candidatura de Wagner. A gente passaria a ter Otto [candidato] ao governo e Rui ao Senado. Acho que mantém a pegada de apoio forte à candidatura de Lula. Hoje o PP participa da majoritária na vice, imagino que isso esteja sendo conversado para a continuidade do PP na vice. Isso mantém o grupo unido e chance real de vitória. Não é a mesma coisa de uma candidatura do PT, que tem um histórico muito forte, por isso a preferência era por Wagner. Mas o PT já provou que pode apoiar outros candidatos”, declarou Florence.

O parlamentar definiu como “legítimo” o debate sobre manter uma candidatura própria do PT ao governo e disse que a sigla tem “quadros robustos”, mas ressaltou que no grupo político “também há outros nomes”. “Para nós, a prioridade de eleger Lula é fundamental, assim como a renovação do projeto na Bahia”, afirmou. A executiva estadual do PT se reúne na sexta, 4, para debater o assunto.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.